Minha sumida.

       Quando se passa muito tempo sem ver a galera, ou qualquer outra pessoa, muito se levanta sobre essa pessoa e nada é concreto. Aconteceu comigo e acontece com você, de repente você se vê perguntando “por onde anda fulano?”, “o que anda fazendo?”. Numa das situações você acaba estando do outro lado, o lado do consultado, “e o fulanera, tem visto ele tem falado com ele?”.


      Me irrita profundamente responder perguntas que não quero, isso é interno e não dá pra pré-definir ou estabelecer o que perguntar e não perguntar. Uma das situações é quando você tropeça em alguem e você sabe que aquilo vai acontecer que você vai ser perguntado sobre outra pessoa. No bar de vez enquanto acontece – e ai você não tem falado com aquele?. Por Deus isso é pro assunto não morrer e tudo ficar sem graça, como se já não tivesse morrido.

      O que vem ao caso é o que foi pensado sobre mim e a minha repentina sumida do meu “ciclo social”. Uma delas foi a de que tinha arrumado um par de pernas e que estava abrindo suas nádegas com o meu falo. Mas a melhor delas foi a de que tinha virado travesti e que resolvera apagar todos mentalmente, como a limpeza de dados de um sistema.

      Batendo ponto em outro lugar estaria recebendo grana por prestar serviços com sexo. Estaria rompendo a barreira que esta entre as bochechas da minha bunda, por dinheiro e de vez enquanto fazendo o contrário. O nome de guerra seria, Anyellem, Mixa ou Teresa. Seria escroto por não possuir um corpo atlético nem para quem é homem nem para quem é mulher, pior pra alguém que não é nem um e nem outro.

      Travesti Renan? Porque a especulação não foi sobre minha morte, ou sobre uma partida repentina, talvez eu não quisesse falar com ninguém, talvez estava internado em uma clinica de reabilitação para viciados em pornô grafia, talvez até espalhando copos de bosta pelo mundo, mas travesti? Pelo menos pensou que eu tinha resolvido virar em travesti em um lugar rico e famoso, como a Augusta em S. Paulo.

      Travesti em Goiânia sofre, ainda mais quando 3 e mais um peidão para na esquina achando que é mulher e perde 10 reais sem nenhuma chupetinha. Ou leva um tapa na bunda alí perto do praça A. Alguns se reduzem a preço de 1 real só para talvez sentir prazer uma vez, mesmo tendo prazer ainda cobra. Pior deve ser o que se sujeita a levar uma lambinda, no "oreface", com uma versão barata de mel por 10, não, 20 reais.

4 comentários:

Mamediano. disse...

kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

especulei sobre uma possível metamorfose em travesti, porque é o que mais encantaria a nós todos.

Mamediano. disse...

não que eu tenha q justificar o q pensei ou deixei de pensa, afinal de contas, foda-se :)

Luiz! disse...

é fato, mas travesti? Realmente é o que nos encantaria, quer dizer a vocês. um cara que fuma, bebe mas metamorfoseado. só eu com cara de mulher falando grosso - o gostosa.

Mamediano. disse...

e cuspindo, e emudecendo e tendo a bundinha lambuzada de glucose.